Captando leads com e-book

 Inbound marketing 
Aprenda a montar um e-book e organizar seus processos para otimizar seus resultados

Captando leads com e-book

  

Trocar um e-book por contatos já não é mais novidade há algum tempo. E, mesmo assim, muitas empresas têm seguido com essa estratégia, por um motivo muito simples: ainda funciona! 

 

Entretanto, a produção de um e-book pode ser trabalhosa e com certeza demanda muita atenção em uma série de detalhes, como explicaremos a seguir. Então vamos direto ao ponto! 

 

Organize a sua estratégia 

 

Pode parecer besteira falar para você organizar sua estratégia, mas acontece que já vimos casos em que uma empresa havia produzido seu e-book, tomando os devidos cuidados com erros de ortografia e diagramação. Entretanto, ainda não sabia como faria para que esse material chegasse aos leads ou como faria para medir resultados.

 

Antes de começar a produção, é preciso fazer uma pergunta: para que fazer um e-book? Se a resposta é captar leads ao levar conteúdo relevante, temos um ponto inicial para essa estratégia. Produzir um e-book só por produzir pode dar errado em alguns pontos, como no conteúdo apresentado (o qual pode trazer vários elementos desnecessários ou de pouca relevância ao lead) ou ao se esperar uma mega conversão de leads só por haver um novo atributo nos esforços de Marketing, um que "está na moda", "funcionou para muita empresa".

 

Facilita se você preparar uma lista e responder algumas dúvidas, como: 

 

  • Qual é o assunto a ser abordado no e-book? Separar em tópicos;
  • Como se dará a produção do e-book em termos de produção escrita e de design?;
  • Como disponibilizar o e-book aos visitantes e leads?;
  • Quais serão os esforços de divulgação e quanto tempo durarão?;
  • O que será feito com os leads que converterem? Haverão pontos de contato?

 

Se uma equipe estiver envolvida nessa produção, este é o momento de dividir tarefas para otimizar os processos e minimizar os erros. Porém, se apenas uma pessoa for a responsável pela estratégia do e-book, a organização é ainda mais importante para que nenhuma etapa estoure seu prazo ou seja negligenciada. 

 

Entendendo os elementos do e-book

 

Pense no último livro ou artigo que você leu e prendeu a sua atenção. Não interessa se foi uma matéria de jornal, um romance ou um texto de blog; tente analisar o que foi que chamou a sua atenção. 

 

Pode ser que a história tenha sido muito boa e você ficou curioso para ler o resto; pode ter sido uma matéria jornalística cujo conteúdo trazia uma notícia que pode mudar alguns parâmetros na sua vida financeira; pode ser um artigo que te ensina uma nova habilidade para a sua vida profissional. 

 

Perceba que não importa o formato do conteúdo. O que prendeu a sua atenção foi algum fator que era importante naquele momento - relaxar lendo um livro, prestar atenção em uma notícia sobre um assunto importante ou aprender algo novo visando o crescimento profissional. 

 

E é justamente neste ponto que algumas pessoas se equivocam ao elaborar o conteúdo de um e-book. O que realmente é importante ao produzir o conteúdo, o que você acha que seu lead quer ler ou um conteúdo que dará mais credibilidade ao trabalho desenvolvido pela sua empresa?

 

Outro ponto de atenção está na diagramação. Não estou falando de um livro que seja bonito por suas figuras e cores, mas sim de um design que alivie o peso da leitura, que quebre o texto em blocos menores, imagens que ilustrem pontos específicos e cores que não se misturem e não agridam o olhar. 

 

Existem algumas referências de diagramação, possíveis de serem baixadas de universidades ou até mesmo de jornais menores. Antigamente, grandes jornais publicavam manuais de redação, sendo que alguns deles traziam elementos sobre a disposição de elementos na página. 

 

Já que citei manuais de redação, não vou deixar passar a chance de relembrar algo que é primordial: cheque sempre por erros de ortografia! Ninguém é perfeito e é comum que erros passem despercebidos por uma equipe inteira. Mas é necessário estabelecer um padrão de revisão. Alguns professores de Língua Portuguesa e Escrita dizem que um texto deve ser revisado cinco vezes antes de ser publicado, em momentos diferentes: duas para checar erros gramaticais, duas para checar o sentido e a concordância e uma final para ver se o texto como um todo está fazendo sentido. 

 

Erros simples da língua materna tiram bastante da credibilidade do conteúdo e, consequentemente, da marca que o divulga. Uma boa ideia é contratar um revisor quando o conteúdo estiver pronto! Afinal, não é porque chamamos de e-book que essa mídia deixou de ser um livro, não é mesmo?

 

Levando o e-book aos leads

 

Ok, o e-book finalmente está pronto e é um material incrível. Estamos prontos para divulgar ele! Mas… por onde começar?

 

Bem, existem algumas formas de levar esse e-book para seus leads. Mídias sociais, e-mail, link no site, Pop Up… são muitas as ferramentas que podem chamar a atenção de um visitante. 

 

Comece pensando no que você já possui disponível para sua empresa. Quais são os canais de comunicação com os quais ela conta? Quais são as mídias sociais? Aqui nem sempre é viável já partir para outra forma de divulgação, por conta da quantidade de tarefas que já estão inclusas no projeto do e-book. Caso fosse o objetivo explorar uma nova ferramenta, o ideal seria já incluir essa etapa no começo do projeto, para que nenhuma surpresa desagradável apareça.

 

Outro fator importante é considerar a comunicação que a sua empresa já possui. Dependendo da periodicidade de publicações nas mídias sociais, por exemplo, talvez não seja uma boa ideia insistir em uma série de posts para apresentar o e-book, o que pode cansar os seus seguidores. O mesmo vale para a quantidade de e-mails enviados e o tipo de Pop Up que você configura em seu site. Não convém colocar um Pop Up com o mesmo conteúdo em todas as páginas! Seja estratégico e monte um Pop Up para uma página que faça mais sentido para aquele e-book. 

 

Já no site e no blog, convém sempre deixar um link disponível para que o visitante baixe o e-book e comece a interagir com sua marca. No futuro, com novas estratégias, você poderá medir o interesse dos seus visitantes e investir mais no que dá certo, aumentando suas chances de conversões. No blog, toda vez que houver uma brecha para incluir um link, dizendo que você o produziu pensando naquele assunto específico, aproveite! Cubra todas as áreas possíveis de se divulgar o e-book e pense na divulgação como uma conversa que você tem com o seu visitante ou lead. 

 

Converteu, e agora? 

 

Não basta só colher os dados dos seus contatos, é preciso saber o que fazer com eles! 

 

Em algum momento, você quererá vender para esses novos contatos, certo? Porém, eles acabam de entrar no seu funil de vendas. Não necessariamente significa que esse novo lead baixou o seu e-book com a intenção de comprar da sua marca! 

 

Perceba que este e-book possui uma estratégia própria para sua execução, mas faz parte de uma estratégia maior e contínua, a qual envolve esforços diários do seu comercial, time de marketing e por aí vai. 

 

Uma boa ideia é oferecer o e-book em troca das informações exatas que você quer obter. Mas cuidado, no formulário que você configurar, tente ser sucinto ao obter os dados! Ninguém tem paciência de preencher muitos campos em troca de um conteúdo que pode não ser tão necessário naquele momento. 

 

O processo de obtenção deste conteúdo deve ser fácil e descomplicado, pensando sempre na comodidade de quem vai acessar suas informações! 

 

Lembre-se: colocar-se sempre no lugar do seu futuro cliente é a maneira mais fácil para se vender rápido!

Cadastro realizado com sucesso!
Não foi possível realizar o cadastro, tente novamente.
Receba nossa Newsletter